28 Fev, 2019

SAD avança na política de valorização e reconhecimento dos servidores

Polícia Civil passa a integrar o grupo de cargos com desenvolvimento em ca

Crédito: Djair Pedro/SDS Arquivo

/image/journal/article?img_id=51224543&t=1551364256989

O período de avaliação da categoria será de 18 de março a 12 de abril de 2019

Atento ao desenvolvimento de todos os órgãos do Poder Executivo Estadual e também à qualificação dos seus servidores, o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Administração, que coordena o processo de Avaliação de Desempenho do Estado, contempla pela primeira vez a Polícia Civil. O foco são os cargos de Agentes de Polícia e aqueles que possuem atividades correlatas. São eles: Escrivão, Auxiliar de Perito, Auxiliar de Legista, Perito Papiloscopista e Operador de Telecomunicação. 

Dentro de um conceito mais amplo, a Avaliação de Desempenho é utilizada como um mecanismo importante dentro do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV). Ao todo, 2.843 servidores da Polícia Civil serão avaliados. O período de avaliação da categoria será de 18 de março a 12 de abril de 2019.

Para o secretário de Administração do Estado, José Francisco Cavalcanti Neto, a inclusão da Polícia Civil neste sistema de avaliação reafirma o compromisso do Governo Estadual em investir qualitativamente no conjunto dos seus servidores. “Este é um marco para a Polícia Civil, já que é a primeira vez que eles estão sendo avaliados dentro dos critérios que foram estabelecidos juntamente com a categoria. É uma oportunidade que o servidor tem de progredir em sua carreira através deste mecanismo de avaliação prevista na Lei Complementar número 137/2008”, asseverou o titular da pasta.

A avaliação de Desempenho é composta por duas etapas: Avaliação do Comportamento e Avaliação de Resultados. Nesta primeira, o servidor se autoavalia dentro de critérios pré-estabelecidos, como o peso de 40% e o chefe imediato também faz avaliação do servidor, esta com o peso de 60%. A soma das duas notas deve alcançar no mínimo 6,5 para que o servidor seja considerado apto para progredir na carreira. Caso ele atinja um a nota inferior a 6,5 ele será considerado inapto. A segunda fase prevê metas pré-estabelecidas que deverão ser cumpridas pelo servidor num determinado período. “Neste primeiro ciclo de avaliações, por conta do tempo da publicação do decreto (21.01.19), haverá apenas a avaliação comportamental, ficando as metas a serem elaboras e implementadas a partir do próximo ano”, explicou a gerente de Gestão por Competência e Desenvolvimento de Carreiras do Estado, Heliane Lima.

Durante o processo serão levados em conta as seguintes competências: trabalho em equipe, assiduidade e pontualidade, capacidade profissional; sigilo; hábitos de segurança, atendimento ao público, responsabilidade e compromisso; ética, controle emocional, compartilhamento de informações e conhecimento.

Os servidores participantes do processo poderão entrar em contato com a área de Recurso Humanos da Polícia Civil através do email ad.divdap@policiacivil.pe.gov.br. Para a secretária Executiva de Pessoal e Relações Institucionais, Marília Lins, a Avaliação é importante tanto para o servidor quanto para a gestão pública estadual. “Ela permite uma maior dinamicidade ao PCCV, pois os servidores conseguem progredir em suas carreiras através do mecanismo de avaliação de suas entregas. Além de desenvolver os servidores e fortalecer as instituições”, finalizou Marília.

 

 

 

 

RESTRIÇÕES

 

 

Regras que impedem o servidor de participar da Avaliação de Desempenho:

Ter menos de três anos e seis meses de serviço no cargo, de acordo com o decreto estadual 47.027/2019, datado de 21 de janeiro deste ano; não possuírem curso de formação exigido para o cargo;  estiver de licença para tratar de interesse particular ou afastado ou licenciado, a qualquer título, sem ônus para o Estado, inclusive para exercício de cargo eletivo; enquanto estiver em exercício de cargo ou atividade de natureza não policial;  tiver sido condenado criminalmente por sentença transitada em julgado ou punido disciplinarmente com pena de suspensão, de acordo com a Lei Complementar 137, de 31 de dezembro de 2008;  Neste último caso o servidor só poderá concorrer à progressão, após decorrido o cumprimento da pena ou da punição disciplinar imputada, conforme o artigo 10, do Decreto 47027/2019.

 

Últimas Notícias

  • 25
    Jun
    2019

  • 25
    Jun
    2019

  • 21
    Jun
    2019

Vídeos